Email Marketing: Princípios para potenciar o Email da sua empresa

email-reputacao-mr-designer
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

email marketing é uma das ferramentas de marketing digital mais poderosas ao dispor das empresas, especialmente depois da implementação do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados. Ter o consentimento dos internautas para receber comunicações da sua empresa diretamente na sua caixa de email é precioso. E esta é, de todas as ferramentas de marketing digital, a que regista maior alcance orgânico e maiores taxas de conversão. Por essa razão, dedico este artigo ao tema e apresento algumas formas de potenciar o email marketing.

No início, criar mailing lists qualificadas

Se está a começar agora a sua estratégia de email marketing, deve ter em conta que mais do que captar muitos endereços de email, importa captar endereços de email de pessoas que estão efetivamente interessadas na sua marca. Caso contrário, a probabilidade de clicarem no botão de unsubscribe (de presença obrigatório nas newsletters) na primeira comunicação por email que receberem da sua empresa, é muito grande. Por isso, é crucial criar, desde logo, uma mailing list qualificada. Como? Dependendo da oferta da sua empresa pode criar mais ou menos passos até à captação do email e subscrição da newsletter. Por norma, quanto mais passos o utilizador tiver que passar, maior a probabilidade de desistir, mas também maior o interesse que demonstra na sua oferta. A criação de campanhas de geração de leads, quer em Facebok Ads, quer em Google Ads, devidamente segmentadas é das formas mais eficazes de captar endereços de email. As redes sociais são também um bom meio de incentivar a subscrição da newsletter, uma vez que os seguidores já demonstram interesse na sua marca ao segui-la.

Na construção…

Personalizar para cativar

personalização de um email pode ser tão simples como começá-lo com a menção do nome de uma pessoa que o está a ler. Um “Olá Rita!” cria, inconsciente e instantaneamente a proximidade desejada com o leitor.

Depois da introdução de empatia, o conteúdo do email deve ser relevante e entregar valor ao leitor. Numa estratégia de marketing de conteúdo, pode explorar, com esta ferramenta, o sentido da exclusividade ou do acesso em “primeira mão” para valorizar ainda mais os conteúdos. Isto pode resultar bastante bem em projetos e-commerce, com as “vendas privadas” ou lançamentos de coleções antecipadas, porque são ações que os clientes apreciam. É, no entanto, importante equilibrar a comunicação para não a tornar demasiado comercial e agressiva.

Dar continuidade ao email

Termine sempre com uma call-to-action, não deixe os sesu leitores que querem saber mais sobre os seus conteúdos ou a sua oferta sem orientação. As newsletters devem ser encaradas como uma porta de entrada para landing pages, onde o utilizador é levado a converter (ler um artigo completo, ver um vídeo, deixar a sua opinião através de um questionário, comprar…)

E se o leitor quiser exprimir a sua opinião, colocar uma dúvida ou deixar uma sugestão em resposta ao email? Garanta que tem como o fazer. Os “no.reply” são de evitar. Sempre que houver alguma possibilidade de diálogo e interação com clientes ou potenciais clientes, esta não deve ser desperdiçada.

O assunto é a alma do email (negócio)

Se a newsletter fosse um livro, o assunto seria a capa. Esta pequena mensagem determina a abertura ou não do email. Para que um assunto seja interessante e atrativo o suficiente, deve ser original e refletir o conteúdo do email. Evite que o leitor fique frustrado após a abertura da newsletter, por perceber que o assunto é enganoso. O formato também é de ter em conta40 caracteres ou 7 palavras é a extensão indicada para um assunto de email. Lembre-se que esta sua comunicação pode ser consultada em diversos dispositivos, com diferentes sistemas operativos. Esse cuidado deve ser tido logo no assunto, uma vez que pode não ser mostrado na sua totalidade, especialmente em mobile.

mobile first

Estudos apontam que mais de metade dos utilizadores abrem e lêem emails em dispositivos móveis, como tablets ou smartphones. Por isso, é fundamental que o seu conteúdo do seu email esteja adaptado a formatos mobile, com um design responsive e sem grandes manchas de texto.

Antes de enviar, segmentar

Antes de proceder o envio, reflita sobre a que persona o seu email poderá interessar. É fácil chegar à conclusão de que o conteúdo do seu email interessará a todos os clientes e seguidores, mas o exercício de segmentação pode levar a resultados muito interessantes. Eleger determinado público pelas suas características sócio-demográficas (idade, género, localização geográfica…) ou por outras características mais pessoais (hobbies, gostos, interesses, …) e comunicar-lhe algo do seu interesse, aumenta as taxas de abertura, de cliques e, por consequência, de conversão.

Pense na segmentação como uma forma eficaz de nutrir as suas leads, entregando-lhes conteúdos relevantes e direcionados.

No entanto, para obter este tipo de informações, deve colocar as questões que pretende ver respondidas no primeiro passo do processo (e explorado aqui no artigo): captação de leads qualificadas.

Frequência e planeamento de mãos dadas

É um desafio encontrar a frequência indicada para o envio de newsletters, tudo depende do conteúdo que tem disponível (com sentido de novidade e relevância) e do interesse dos leitores nesse mesmo conteúdo. Seja como for, evite o envio de newsletters diárias (a não ser que se trate de um projeto noticioso ou outro que, pela sua natureza, exija de facto uma comunicação diária com a sua audiência).

O planeamento estratégico assume aqui um papel importante, na medida em que permite preparar antecipadamente o formato e o conteúdo das newsletters e garantir a frequência desejada.

Por fim:

Otimização é a palavra-chave

As métricas são essenciais para tirar conclusões dos resultados e melhorar. Qual é o melhor horário para enviar a newsletter? Que tipo de assunto conquista mais aberturas? Os botões para as redes sociais conquistam novos seguidores? Estas são questões que só podem ser respondidas através da análise contínua e comparativa das métricas de email marketing. É conveniente ter especial atenção às seguintes: taxas de abertura, taxas de cliques e variação da dimensão da lista (balanço entre contactos conquistados e pedidos de cancelamento da subscrição).

Há uma prática bastante interessante que pode trazer conclusões com mais rapidez, que são os testes A/B. Consistem no envio de praticamente o mesmo email, com uma pequena variação e verificar qual deles foi mais eficaz.

De qualquer forma, com o tempo e quantidade suficiente de campanhas enviadas é possível melhorar. E depois dessa melhoria, será possível melhorar um pouco mais. É um processo que não termina, mas que ajuda a sua empresa a atingir resultados cada vez mais satisfatórios.

cookie-monster.png


Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.